;

Panorama da Hotelaria Brasileira: prévia do 1º trimestre de 2010

O levantamento preliminar do desempenho da hotelaria brasileira no 1º trimestre de 2010 indica continuidade na tendência observada desde o final de 2009, com forte crescimento da demanda em todos os mercados acompanhados, exceto em Salvador.
Pedro Cypriano

O levantamento preliminar do desempenho da hotelaria brasileira no 1º trimestre de 2010 indica continuidade na tendência observada desde o final de 2009, com forte crescimento da demanda em todos os mercados acompanhados, exceto em Salvador. O bom desempenho está associado ao dinamismo econômico observado no país.

Em comparação ao primeiro trimestre de 2009, a amostra analisada apresentou expansão acumulada de 14,4% na RevPAR. O principal direcionador do crescimento foi a demanda, que se expandiu 10,1% no período, gerando igual variação de ocupação. As diárias registraram elevação de 3,8% e contribuíram para a melhora de desempenho, ainda que em menor intensidade. Com a retomada rápida e expressiva do desempenho dos hotéis, as taxas de ocupação estão atingindo patamares relativamente altos; fato que deve ocasionar aumento das diárias médias ao longo dos próximos meses.

* Amostra analisada: Rio de Janeiro (2.312 UHs), São Paulo (7.935 UHs), Salvador (3.744 UHs) e Curitiba (1.046 UHs). Variação de diária e RevPAR sobre valores nominais.


No Rio de Janeiro, a RevPAR apresentou crescimento fortíssimo (22,1%), decorrente de um incremento de 20,2% na taxa de ocupação e de 1,6% na diária média. A expansão modesta de diária média é parcialmente explicada por uma base de comparação relativamente elevada. Tendo em vista o nível de ocupação, a forte pressão de demanda e taxas de câmbio mais estáveis, espera-se crescimento de diárias ao longo dos próximos trimestres.

São Paulo registrou o maior crescimento de RevPAR (22,7%) dos mercados acompanhados. A ocupação teve evolução de 12,8% e as diárias continuaram seu processo de recuperação, com crescimento de 8,8%. Essa tendência deve se manter ao longo dos próximos trimestres, sendo possível ainda uma aceleração do aumento das diárias.

O mercado hoteleiro de Salvador foi o único a registrar retração de RevPAR (-1,3%), decorrente de uma ocupação praticamente estável (-0,1%) e uma pequena queda na diária média (-1,2%). A cidade continua sofrendo com os problemas decorrentes do câmbio, da ampliação da oferta e da competição com os empreendimentos do litoral norte; fatores que devem limitar a melhora do desempenho mesmo em período de expansão da economia brasileira.

Em Curitiba, observou-se um crescimento significativo de RevPAR (15,4%), ocasionado principalmente pela demanda 12,9% superior. As diárias apresentaram expansão mais limitada (2,2%) e não devem sofrer aceleração expressiva até que a taxa de ocupação da cidade alcance um nível mais elevado. O baixo patamar das diárias dos hotéis de luxo também dificulta a expansão das diárias dos demais segmentos.

Para mais informações, contate Gustavo Moura por meio do telefone (11) 3093-2743 ou entre no site http://pt.hvs.com, no qual está disponível a edição completa do Panorama da Hotelaria Brasileira 2009/2010.


 

Pedro Cypriano, Consulting Director of HVS Sao Paulo, has extensive knowledge of the Latin American hotel market, as well as relevant experience in projects in Europa, Asia, and Africa. Over the past 10 years, Cypriano has been involved in more than 250 projects in global hospitality and tourism consultancies, and distinguished research institutes. As an executive of HVS, Pedro has led development plans for hotel chains, brand & management selection and contract negotiations, structuration of mixed-use complexes, business plans for investment funds, as well as hundreds of market studies, valuation and feasibility analysis for hotels and resorts. He is the author of the book "Hotel Development in Brazil: market overview and perspectives", published by Senac, and guest panelist of leading universities. Pedro has a MBA from Insper Business School, a Master degree in Hotel Development from University of Alicante (Spain), a specialization in Finance from Saint Paul Business School and a Bachelor degree in Tourism from University of Sao Paulo (USP). Contact: pcypriano@hvs.com.

3 Comments

  1. Paulo Luiz de Souza CarvalhoApr 22, 2010

    Gostei muito do artigo do Gustavo Moura. Faltou uma análise do comportamento hoteleiro de Belo Horizonte, onde resido. Detestei os resultados de Salvador, onde possuo investimento na área de hotelaria. E dizer que Salvador é um dos maiores polos turísticos de nosso país. Não estaria faltando competência gerencial por lá? Um abraço Paulo Luiz.

    • Obrigado, Paulo. O Panorama da Hotelaria Brasileira é uma iniciativa permanente e em expansão. Belo Horizonte está no nosso radar. Salvador está passando por um momento difícil. Não acredito que falte competência gerencial, pois os hoteleiros locais já estão reagindo. Muitos estão estudando a renovação de seus empreendimentos para enfrentar o ambiente mais competitivo, por exemplo. Abraço, Gustavo

  2. Martin MuselJul 4, 2010

    Entro na carona da pergunta do Paulo Luiz referentea praca de Porto Alegre -RS pois a hotelaria local esta entrando varios Hoteis novos e futuramente entrarao outros ja anunciados pergunto tem projecao par daqui a dois anos/quato naos quando vem a copa como estara o mercado de POa e grande POA sds

    • Obrigado pelo comentário, Martin. A HVS e o Fohb estão preparando um estudo sobre todas as cidades sedes da Copa de 2014, a ser publicado em Agosto e apresentado no Conotel. O estudo deverá avaliar a evolução da ocupação das cidades sedes para identificar onde há risco de super oferta. Fique de olho! Abraço, Gustavo

  3. Caro Paulo Luiz, você poderia mencionar em qual hotel especificamente tem investimento? Estou em vias de adquirir uma unidade no Caesar Business de Salvador, por um preço até atraente. Mas as constantes notícias de ocupação em queda na cidade me levam a ficar preocupado. (Caro moderador da HVS, por um acaso você teria também algum conselho para me dar?) obrigado.

    • Obrigado pelo comentário Ronan. A grande pergunta é o que você considera um preço atraente. Na minha concepção, um preço atraente é aquele que permite você ter um retorno sobre seu investimento que seja mais alto que outros investimentos com nível de risco semelhante ao da hotelaria. Para saber qual será o retorno sobre seu investimento, é preciso estimar qual será a receita gerada pelo empreendimento que você pretende comprar (já que o preço está definido). Como o empreendimento ainda não está em funcionamento, e como o mercado de Salvador está em período de mudança, é difícil estimar qual seria a receita gerada sem fazer uma análise aprofundada. Meu conselho é não fazer um investimento sem ter clareza do retorno que ele possa gerar. Atenciosamente, Gustavo.

Submit a Question or Comment