;

Panorama da Hotelaria Brasileira: prévia do 2º trimestre de 2010

O levantamento preliminar do desempenho da hotelaria brasileira no 2º trimestre de 2010 demonstra continuidade na recuperação do setor, observada desde o final de 2009. Houve crescimento da demanda e receita em todos os mercados acompanhados.

O levantamento preliminar do desempenho da hotelaria brasileira no 2º trimestre de 2010 indica forte crescimento da demanda e receita em todos os mercados acompanhados. Houve fortalecimento da tendência de recuperação (observada desde o final de 2009) nesta comparação trimestral em relação à anterior, devido à maior elevação das diárias e à ausência de mercados com retração de desempenho.

Em comparação ao segundo trimestre de 2009, a amostra analisada apresentou expansão acumulada de 18,9% na RevPAR. A demanda, principal motor da recuperação, se expandiu 10,6% no período, gerando igual variação na taxa de ocupação. As diárias apresentaram maior elevação que no primeiro trimestre ao subirem 7,5%. Mantém-se a percepção de que as taxas de ocupação estão atingindo patamares relativamente altos e devem ocasionar aceleração das diárias médias.

* Amostra analisada: Rio de Janeiro (2.364 UHs), São Paulo (8.412 UHs), Salvador (4.045 UHs) e Curitiba (1.071 UHs). Variação de diária e RevPAR sobre valores nominais.

No Rio de Janeiro, a RevPAR apresentou crescimento de 10,3%, decorrente de um incremento de 3,1% na taxa de ocupação e de 6,9% na diária média. Conforme esperado, observa-se desaceleração da demanda e aceleração da diária média em relação à comparação do trimestre anterior. Esse efeito, antecipado na prévia do trimestre passado, deve perdurar, tendo em vista o elevado nível de ocupação, a forte pressão de demanda e taxas de câmbio mais estáveis.

São Paulo registrou novamente o maior crescimento de RevPAR (24,6%) dos mercados acompanhados, além de ter apresentado aceleração frente a comparação trimestral anterior. A ocupação teve evolução de 13,2% e as diárias continuaram seu processo de recuperação, com crescimento de 10,0%. Essa tendência deve se manter ao longo dos próximos trimestres, sendo possível ainda uma aceleração do aumento das diárias.

Após quatro trimestres de retração, Salvador finalmente apresentou sinais de recuperação, com expansão de 13,2% na RevPAR, decorrente de crescimentos na ocupação (8,8%) e na diária média (4,0%). As variações de demanda e receita, entretanto, mantêm-se abaixo da média do grupo analisado, reforçando a percepção de que a hotelaria local tem se beneficiado da expansão econômica brasileira em menor intensidade que outros mercados.

Em Curitiba, observou-se crescimento de 15,3% na RevPAR. A ocupação (12,3%) ainda tem crescido mais rapidamente que as diárias (2,6%), mas estas devem ganhar nova força a partir do próximo ano, na medida em que a ocupação da cidade se aproximar de seu topo sazonal. 

1 Comments

  1. Phelipe FarahJul 23, 2010

    Boa tarde, Gostaria de saber qual é a base de hotéis utilizados para o estudo do mercado de São Paulo e se possuem dados por segmento de mercado e localização geográfica. Atenciosamente, Phelipe Farah Gerente de Receitas Hilton São Paulo Morumbi

    • Boa tarde, Phelipe. Os dados se referem a 8.412 UHs. Sim, possuímos dados por segmento de mercado e localização geográfica. Atenciosamente, Gustavo

Submit a Question or Comment